Resenha: A culpa é das estrelas - John Green






       Título original: The fault in our stars
       Gênero: Drama
       Editora: Intrínseca
       Páginas: 288
       Skoob: A culpa é das estrelas


A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.


Resenha:

"São tantas emoções..."
E é assim que desejo iniciar minha (já vou logo dizendo) longa resenha do livro que mais me tocou na vida (e não é um exagero). Tantas emoções... Difíceis de expressar de uma forma única e rápida. Pois realmente foram TANTAS. Era um sentido de 'altos e baixos' pra não parecer tão clichê... Em um momento ria descontroladamente, e em outro... Já estava aos prantos.

Hazel é uma garota inteligente, diagnosticada com câncer desde que se lembra e, procura, de alguma forma, um refúgio através de sua vida (sim, a vida de uma pessoa com câncer) nos livros. Em um livro, em especial, o qual se identifica pois a protagonista sofre de um mesmo mal que ela.
E veja bem.. É através deste que consegue uma aproximação com o amigo de seu companheiro do Grupo de Apoio, Augustus Waters, que sofre de osteossarcoma. O charmoso com quem trocou olhares na primeira sessão em que ele foi, e, então depois disso, sua vida toma um rumo diferente.
Gus acredita na seguinte relação: QUAL O OBJETIVO DE MORRER, SE NÃO POR UMA GRANDE CAUSA? O esquecimento, é o maior de seus medos. A única coisa que deseja para depois de sua morte, é ser lembrado. 
Com uma série de acontecimentos (fortes o bastante para te fazer chorar) a aproximação de Gus e Hazel é instantânea, rápida. Assim como leva a vida uma pessoa que não sabe o que o amanhã o aguarda. E então, Gus se pega apaixonado por Hazel, mas tem um sentido nisso tudo...
O amor que ele sente por ela, o faz desistir de seu Desejo (sim, as pessoas com quaisquer doenças que podem valer a vida, tem direito a um desejo antes de partir) e realizar o desejo de Hazel: conhecer o autor de seu livro preferido, o que se identifica... Levando-a a uma viagem intelectual por respostas as perguntas que seu livro deixou, Augustus e Hazel têm uma nova perspectiva do que poderia tomar rumo o seu relacionamento: o amor pega Hazel de surpresa, e então, a magia toda começa.

- Estou apaixonado por você e não quero me negar o simples prazer de compartilhar algo verdadeiro. Estou apaixonado por você, e sei que o amor é apenas um grito no vácuo, e que o esquecimento é inevitável, e que estamos todos condenados ao fim, e que haverá um da em que tudo o que fizemos voltará ao pó, e sei que o sol vai engolir a única terra que podemos chamar de nossa, e eu estou apaixonado por você. 
Augustus é único. Essencial a qualquer um, porém único.
Em "A culpa é das estrelas", John Green possui um conhecimento PERFEITO de todo o assunto abordado desde o início: de forma inteligente, nos mostra desde os sintomas de cada doença tratada, como as reações das pessoas que a sentem. Nos fazendo compreender com uma narrativa jovem, e, certas vezes, irônica, nos faz entender o que isso pode afetar em nossa vida. E a vida de quem está a nossa volta. Percepção de vida e morte, através de Green, ficam claras e evidentes para mim, pelo que nos passa, colocados em cada personagem. Cada um a vê de formas diferentes, assim como nós.

Não é fácil resenhar Green. Simplesmente não consigo encontrar palavras para descrever os sentimentos obtidos com a leitura. A nova percepção de vida e/ morte que obtive com ele, e também, a razão de tudo isso. Porque algumas pessoas têm e outras não? Seria isso, injustiça?

Confesso que pensei, em algum momento, que conseguiria expressar tudo aqui, através destas linhas para vocês leitores. Mas a forma como me perturbou (não no sentido ruim) emocionalmente, por saber que isso faz parte de nós, que devemos aceitar, foi enorme. E eu tenho que agradecer ao Green, de todo o meu coração, por me proporcionar isso.

Obrigada a todos leitores, espero que tenham gostado,

Beijos!

14 comentários:

  1. Oi Jéssica!! Aconteceu comigo igualzinho igualzinho! o livro mexeu demais comigo! chorei e ri na mesma intensidade eu acho, e fiquei triste quando vi que o remédio da Hazel não existe :( eu amo esse quote! o Gus é perfeito *-* com uma declaração dessas a gente só pode se apaixonar por essa personagem, que se tornou uma das minhas favoritas, junto com o Dimitri de VA :) o John Green é um divo e a sua resenha tá linda!
    beijos!

    ResponderExcluir
  2. Eu ameeeeei a resenha desse livro e tô loooouca pra ler *ooo*

    http://devaneiosdeuma-adolescente.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Awn, esse livro é realmente fantástico!
    O que o John nos proporciona, como você mesmo disse, é indescritível.
    Ótima resenha!
    Uma recomendação: para quem gostou desse livro, irá amar "Como eu era antes de você" que relata a experiência de um homem tetraplégico.
    Beijos,
    http://addictiononbooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ana, já estou com ele na estante, só esperando o momento certo para ler!! kkkk já sei que me arrancará muitas lágrimas.
      Obrigada pela dica, beijão.

      Excluir
  4. Olá Jéssica,
    Ser ler as resenhas do livro de John já é tão apaixonante, imagina ler os livros dele. Infelizmente, ainda não tive a oportunidade de ler nenhum deles. Sua resenha está incrível. Parabéns!

    Lucas / Carpe Liber
    livrosecontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Jéssica :)

    Sinceramente... acho que tenho que me tratar pois não vi nada demais em ACEDE achei um livro bom mas não o melhor como todos se referem hahaha, vai me entender né ? beijos !!

    http://euvivolendo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oi Jéssica!
    Eu chorei livros em ACEDE, o livro causa muita emoção na gente, é inexplicável :(
    Tua resenha ta linda!
    Beijos
    *inscrita no canal hihi*
    http://www.garotadolivro.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi Amiga!
    Own *-* Que linda sua emoção ao descrever o que sentiu durante a leitura.
    Já li ACEDE é gostei muito também. Assim como você, chorei muito também. Juro. Foi uma leitura tocante, acima de tudo.
    Percebi que o Green já se tornou um dos seus autores favoritos. Isso é bom.
    Gostei de saber sua opinião e fico muito feliz que tenha amado a leitura assim como eu. (':
    Abraço!

    "Palavras ao Vento..."
    www.leandro-de-lira.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Jéssica!

    Realmente ACEDE é um livro muito emocionante para alguns, e você soube expressar isso direitinho! Mas no meu caso esse livro não me tocou tanto quanto em algumas pessoas, me sinto até sem coração às vezes rs Teve gente que chorou e muito, e eu só fiquei um pouquinho abalada com a morte do Gus, só isso. Não foi o melhor livro que li na vida, como aconteceu com muita gente, mas é uma leitura válida. Espero ler mais obras do autor para saber se ele pode ser melhor do que isso.

    Beijos,
    biblioteca-de-resenhas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  9. Amiga, eu não consegui ler essa resenha sem me emocionar, sabe porque? Por causa dos spoilers que você e o querido Leandro soltaram pra mim, e também de lembrar a sua empolgação com relação a ele, e a fotinho chorando que você me enviou de madrugada :'( quando um livro consegue fazer isso com a gente é algo realmente maravilhoso, mexer com nossos sentimentos apenas com palavras não é mole.
    E fora esse quote que você marcou, quando você me mandou ele por whatsapp eu fiquei mega deprimida, não sei pq, acho que simplesmente pela força das palavras e pelo contexto do livro, estou com ele aqui e ainda não tive coragem de ler, acredita?

    Amei. Parabéns.

    Beijos!!!
    paixaoliteraria.com

    ResponderExcluir
  10. Esse livro foi sem dúvida o mais lindo que eu li até hoje, sério, me apaixonei de uma forma por ele, como você citou, é muito complicado de explicar. O John usou uma forma muito diferente de abordar esses temas e foi espetacular. Sua resenha foi uma das mais completas que li sobre esse livro, MUITO BOA!
    Muita gente anda dizendo que o Extraordinário do R.J. Palacio é muito melhor que a Culpa é das Estrelas, ainda não tive a oportunidade de ler, mas fica a dica aí pra você Jéssica ;)

    Beijos, Danyella

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Dany!
      Já tive a oportunidade de ler 'Extraordinário' e realmente é muito bom e emocionante. Mas ainda não me atingiu como 'A culpa é das estrelas'. Mas leia também, se gostou do gênero, vai adorar aquele!

      Beijos.

      Excluir
  11. Deu vontade de ler !!! Vou comprar hoje! *0*

    ResponderExcluir
  12. Oi adorei.. muito obrigado, me fez se interessar pelo livro....mas vc já leu o livro reverso escrito pelo autor Darlei... se trata de um livro arrebatador...ele coloca em cheque os maiores dogmas religiosos de todos os tempos.....e ainda inverte de forma brutal as teorias cientificas usando dilemas fantásticos; Além de revelar verdades sobre Jesus jamais mencionados na história.....acesse o link da livraria cultura e digite reverso...a capa do livro é linda ela traz o universo de fundo..abraços. www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?

    ResponderExcluir

Olá!

O seu comentário é muito bem vindo e importante! Mas peço, por favor, que comente algo relacionado ao post, ou se quiser falar comigo, deixe um recado, mas nada de "estou seguindo, segue de volta"? Ou "Passa Lá?!" ... Comentários desse tipo não são bem vindos. Se você é blogueiro, eu te entendo, deixe o seu endereço na assinatura do comentário que com certeza vou te visitar, e vou seguir se achar legal, assim como quero que as pessoas façam aqui no Best, ok?! Seja um blogueiro consciente e respeite o meu trabalho. Conto com sua colaboração.

Obrigada!